A secretaria de Meio Ambiente (Semeia) da prefeitura de Ji-Paraná, anunciou ontem que está preparando duas atividades para comemorar o Dia Mundial da Água que acontecerá no próximo dia 22, sexta-feira. As ações acontecerão em parceria com o Instituto Federal de Rondônia (IFRO). A informação foi prestada pela titular da referida pasta, Kátia Casula que se diz preocupada com questão acelerada da degradação de igarapés e rios situados na região deste município.


História do Dia Mundial da Água


O Dia Mundial da Água foi criado pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 22 de março de 1992, desde então, se debate os mais diversos temas relacionados á este importante bem natural. É de conhecimento de todos que dois terços do planeta terra são formados por água, e a razão é que apenas pouco mais de 0,008 %, do total da água do nosso planeta é potável, ou seja, própria pata consumo.


Outro fator de conhecimento é que grande parte das fontes da água como: rios, lagos e represas está sendo contaminada, poluída e degradada pela ação predatória do homem. Esta situação é preocupante, pois poderá faltar, num futuro próximo, água para o consumo de grande parte da população mundial. Esta foi á razão principal para o Dia Mundial da Água, ser instituído. A ONU, também em 22 de março daquele ano divulgou o documento denominado de “Declaração Universal dos Direitos da Água”


Atividades


Kátia Casula ao Diário relatou que a primeira atividade alusiva ao Dia Mundial da água será a realização de um Pit Stop, marcado para acontecer no cruzamento da BR com Seis de Maio, primeiro distrito, quando será distribuída água para condutores de veículos e pedestres, além de uma muda de árvore do Viveiro Municipal e uma mensagem de conscientização, em texto. “Precisamos que a nossa comunidade se conscientizem da importância da conservação da água para a nossa sobrevivência e a necessidade de se plantar árvores”, alertou. Já a segunda atividade, também em parceria com alunos dos cursos de Técnico e Floresta e Engenharia Florestal do IFRO, ocorra em uma área de preservação ambiental.


Diagnósticos


A secretária de Meio Ambiente da segunda maior cidade do Estado, fez também um breve diagnostico da situação do município. Como exemplo ela citou os casos das enchentes e seus transtornos que são resultados da ação do homem sobre o Meio Ambiente citando o fato da impermeabilização do solo de forma excessiva, retirada de árvores das margens dos rios, constantes e imprudentes, retiradas por pessoas sem medir suas consequências no futuro. “Essas ações fazem com que igarapés sofram assoreamentos, e com isso, transbordando com muita facilidade em época de chuvas, provocando alagamentos e muitos danos tanto ambiental, material e até com perdas de vidas”, lamentou.