No ar
Palavras de Vida
Segunda, 28 de setembro de 2020
69 3421-5085
Política

10/02/2020 ás 22h45

Redacao

Ji-Paraná / RO

PGR denuncia senador Ciro Nogueira por corrupção e lavagem de dinheiro
Além do congressista, outras 6 pessoas, incluindo o empresário Marcelo Odebrecht, também foram denunciadas nesta 2ª feira (10.fev.2020).
PGR denuncia senador Ciro Nogueira por corrupção e lavagem de dinheiro

A PGR (Procuradoria Geral da República) denunciou ao STF (Supremo Tribunal Federal) o senador Ciro Nogueira (Progressistas-PI) pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.


Além do congressista, outras 6 pessoas, incluindo o empresário Marcelo Odebrecht, também foram denunciadas nesta 2ª feira (10.fev.2020).


A denúncia, apresentada no âmbito da operação Lava Jato, é resultado de uma das frentes de investigação instauradas em decorrência de declarações fornecidas pelo empresário e por diretores da Construtora Odebrecht como parte do acordo de delação premiada firmado com o MPF (Ministério Público Federal) em 2016.


Segundo o MPF, o senador teria recebido do grupo empresarial R$ 7,3 milhões em vantagens indevidas. Eis a íntegra (18 MB) da denúncia.


A representação detalha o funcionamento do esquema criminoso que teria beneficiado o senador que, desde 2013 preside o Progressistas, antigo PP (Partido Progressista). Segundo os investigadores, há provas de que as doações eleitorais da Odecrecht à legenda saltaram 512,5% em 4 anos.


O valor global de doações da empresa ao partido foi de R$ 720 mil em 2010, passou para R$ 2,6 milhões em 2012 e alcançou R$ 4,4 milhões em 2014.


Considerando apenas o total de doações, o número saltou de 6 para 42. O período coincide com o momento em que Nogueira tornou-se uma das mais importantes lideranças do partido, e a Petrobras firmou “relevantes contratos” em benefício do grupo econômico, segundo destaca o MPF.


De acordo com a PGR, tanto doações legais quanto não contabilizadas seriam parte do esquema criminoso que desviou recursos da petrolífera e que contou com a participação direta de empresários, políticos de vários partidos, dentre os quais o PP, operadores financeiros e agentes públicos.


No caso dos partidos, a quem cabia indicar diretores de áreas estratégicas da companhia, a contrapartida era dar sustentação política ao governo federal e defender os interesses dos empresários financiadores do esquema.


relação entre o PP e a construtora é objeto do inquérito 3.989, cuja ação penal por organização criminosa já foi recebida pelo STF.


No caso da petição encaminhada à Corte nesta 2ª, o objetivo é garantir a responsabilização individualizada dos envolvidos que, conforme descreve a coordenadora do Grupo de Trabalho da Lava Jato na PGR, subprocuradora-geral da República Lindôra Maria Araújo, cometeram os crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.


A representação destaca que, para esconder o esquema criminoso, os envolvidos valeram-se de “1 sofisticado esquema de contabilidade paralela, ocultaram a origem, propriedade, localização e movimentação de recursos de origem ilícita”.


Nogueira e seu assessor, aponta o MPF, eram identificados por codinomes, assim como os doleiros encarregados de viabilizar os repasses financeiros. Na planilha Drousys mantida pela Odebrecht, foram feitos 12 registros no valor de R$ 500 mil cada, em nome de “Piqui”, e 2 em nome de “Cerrado”, sendo 1 de R$ 500 mil, e outro, de R$ 800 mil.


Em relação a Ciro Nogueira, as provas reunidas revelaram o recebimento de propina de forma parcelada, de 2014 a 2015, em Brasília e em São Paulo.


Em nota, a defesa do senador considerou “estranha” a apresentação da denúncia por entender que o inquérito é baseado “unicamente em delações premiadas da Odebrecht”.


“Todas as delações deverão ser analisadas em momento oportuno pelo Supremo Tribunal Federal, que irá decidir sobre a validade, ou não, de algumas delações.” 

FONTE: Poder 360

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2020 :: Todos os direitos reservados