No ar
Aline Barros em Família
domingo, 28 de novembro de 2021
Brasil

23/09/2021 ás 15h03

Redacao

Ji-Paraná / RO

JORGINHO CHAMA RENAN DE LADRÃO E BRIGA PRECISA SER CONTIDA
Os dois parlamentares discutiram após Calheiros acusar governo Bolsonaro de corrupção
JORGINHO CHAMA RENAN DE LADRÃO E BRIGA PRECISA SER CONTIDA

Os senadores Renan Calheiros (MDB) e Jorginho Mello (PL) protagonizaram, nesta quinta-feira (23), um dos momentos mais conflituosos da CPI da Covid-19. Em meio a gritos de “vagabundo” e “ladrão”, os dois parlamentares precisaram ser contidos pelos colegas para que não entrassem em confronto físico.


O desentendimento teve início após Calheiros, relator da comissão, afirmar que o governo de Jair Bolsonaro é corrupto, durante a oitiva do diretor da Precisa Medicamentos, Danilo Trento.


– Foi empresa dessa gente [a] escolhida pelo presidente para comprar vacina. Ele preferiu esse tipo de negociação. É por isso que tem aumentado a cada dia a percepção de que o governo é um governo corrupto – assinalou Renan.


Neste momento, o senador Jorginho Mello decidiu sair em defesa do presidente da República, declarando que “não foi o governo que escolheu [as empresas]. Foram os picaretas que tentaram vender”.


Calheiros não gostou de ser interrompido e apontou que não deu a palavra ao senador e que, por esse motivo, ele não poderia se pronunciar.


– Eu não permito que me interrompam. Pode defender o seu presidente da República quando quiser. Na hora que eu falo, não – disparou Calheiros, em tom de voz já elevado.


O senador Jorginho reagiu dizendo que iria interromper com ou sem permissão e completou: “Vá para os quintos!”


– Vá vossa excelência, com o seu presidente e o Luciano Hang – rebateu Renan.


O parlamentar governista se irritou ao ter o dono da rede de lojas Havan envolvido e disse ao relator para “lavar a boca para falar do Luciano Hang, um empresário decente, um homem honrado”.


– Vá lavar a tua, vagabundo – respondeu Calheiros.


Jorginho reagiu ao xingamento acusando Calheiros de ser “ladrão e picareta”. As palavras usadas elevaram a tensão, e, neste ponto, o relator deixou a tribuna para tirar satisfações com Jorginho no plenário da comissão, fato inédito mesmo nos momentos de maiores confrontos do colegiado.


O presidente da CPI, Omar Aziz, tentou apaziguar os ânimos, enquanto os demais senadores se aglutinaram em torno dos dois parlamentares, para contê-los fisicamente e evitar uma briga ainda maior.


A sessão ficou parada por dez minutos até que os ânimos se acalmassem e Renan Calheiros retornasse à tribuna, para que o depoimento de Danilo Trento fosse retomado.



 


 

FONTE: Agência Senado

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2021 :: Todos os direitos reservados