No ar
Quinta, 19 de setembro de 2019
69 9374-9560
Educação

10/06/2019 ás 11h32 - atualizada em 10/06/2019 ás 11h38

Redacao

Ji-Paraná / RO

CONHEÇA A ESCOLA ONDE CRIANÇAS PAGAM MENSALIDADE COM PLÁSTICOS QUE POLUÍAM RIOS
Toda semana, alunos trazem pelo menos 25 itens de plástico único à instituição.
CONHEÇA A ESCOLA ONDE CRIANÇAS PAGAM MENSALIDADE COM PLÁSTICOS QUE POLUÍAM RIOS

Uma escola na Índia encontrou uma maneira de ajudar o meio ambiente.


Os alunos pagam a mensalidade com plástico.


Toda semana, eles trazem para a escola pelo menos 25 itens descartáveis de plástico à escola.


A escola Akshar Foundation School foi criada por um casal, que vive no Estado de Assam, nos pés da cordilheira do Himalaia. Ela é mantida por uma fundação, que, por sua vez, vive de doações.


A fundação diz que as "mensalidades" pagas com plástico ajudam a estimular um senso comunitário entre alunos, pais e escola. E ajudam também a conscientizar sobre o perigo da queima de plásticos.


"Decidimos coletar plástico de nossos alunos porque tínhamos um problema. Ouvimos relatos deles de que queimavam plástico quase todos os dias nos meses de inverno. Os estudantes faziam isso para se aquecer. Então, tornamos (a coleta) obrigatória", diz Parmita Sharma, cofundadora da Akshar Forum.


Os alunos também criam "tijolos ecológicos" a partir de garrafas plásticas.


O próximo passo é construir caminhos ligando as diferentes partes da escola.


"Os alunos também estão ficando mais conscientes - agora eles sabem que o plástico é ruim para a saúde; queimar plástico é ruim. Eles estão conversando com seus pais sobre os efeitos nocivos, conscientizando-os", acrescenta Parmita.


Além disso, muitas dessas crianças desprivilegiadas tinham deixado a escola para ganhar dinheiro, mas aqui encontraram uma maneira de ajudar no orçamento de casa enquanto aprendem.


A escola paga as crianças mais velhas por hora para ensinar as mais novas. À medida que avançam academicamente, seu salário aumenta.


Os cursos vocacionais também ajudam a melhorar suas aptidões.


"Esperamos que eles obtenham habilidades suficientes para que possam se tornar independentes", diz Parmita.


"Estamos tentando desenvolver um modelo pelo qual proporcionamos desde escolarização até emprego", acrescenta.


A escola começou com 20 alunos. Hoje, são mais de 100 estudantes aprendendo nestas cabanas de bambu.


O casal espera agora replicar este modelo em toda a Índia.


A Índia é o segundo país mais populoso do mundo depois da China, mas sofre com a extrema pobreza. Um em cada cinco indianos vive abaixo da linha da pobreza (menos de US$ 1,25 por dia ou R$ 5).

FONTE: BBC Brasil

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados