No ar
Som Rural
Terça, 23 de julho de 2019
69 9374-9560
Brasil

06/07/2019 ás 16h57

Redação I

Ji-Paraná / RO

MORRE O CANTOR E COMPOSITOR JOÃO GILBERTO
Um dos pais da bossa nova, o baiano radicado no Rio tinha 88 anos
MORRE O CANTOR E COMPOSITOR JOÃO GILBERTO
O músico se apresenta no Festival de Montreaux, Suíça, em 1989 Foto: Alain BENAINOUS / Gamma-Rapho via Getty Images

Morreu hoje no Rio de Janeiro, aos 88 anos, o cantor e compositor João Gilberto, considerado um dos pais da bossa nova.


Segundo amigos da família, João Gilberto passava por um exame, que teve complicações. Os advogados da filha Bebel Gilberto, que trava uma disputa com o irmão João Marcelo, estão a caminho da casa do cantor. O corpo deverá ter que passar por uma autópsia.


O estado do cantor se debilitou muito após a morte da amiga e ex-mulher Miúcha, também cantora, que morreu em dezembro do ano passado.


João Gilberto estava sem plano de saúde, e pesava cerca de 40kg. Os atendimentos médicos eram pagos pela filha Bebel Gilberto, que administrava a conta onde o cantor recebia os direitos autorais.


UMA REVOLUÇÃO NA MÚSICA BRASILEIRA


João Gilberto Prado Pereira de Oliveira, nascido em Juazeiro, Bahia, em 1931, revolucionou a música brasileira. Contribuiu decisivamente para tornar a bossa nova um estilo musical reconhecido em todo o mundo.


Um dos mais influentes compositores da música brasileira, João Gilberto gravou discos seminais como "Chega de Saudade" (1958), "Getz/Gilberto" (1964) — que lhe rendeu um Grammy — e "O amor, o Sorriso e a Flor" (1960).


Era um gênio reconhecido também pelo temperamento difícil, que tinha como exemplo mais contundente sua preferência pelo isolamento em seu apartamento no Leblon.


O compositor João Gilberto Foto: Editora Globo / Agência O Globo
O compositor João Gilberto Foto: Editora Globo / Agência O Globo


 


Nos últimos anos, a vida de João Gilberto passou a ser relacionada a problemas financeiros, desavenças familiares e questões relacionadas a direitos autorais de sua obra.


Uma sequência de problemas que abalaram o artista, cada vez mais distante de todos, e  com saúde cada vez mais frágil.


João Gilberto foi um dos maiores inovadores do violão e um dos responsáveis por criar o som que viria a ser associado à bossa nova. Outros grandes compositores da música brasileira prestaram homenagem ao longo dos anos: Gilberto Gil, em 2014, gravou "Gilbertos Samba" em 2014. No ano passado, Caetano Veloso o definiu como "maior artista brasileiro".


Em sua conta no Instagram, Gal Costa prestou homenagem ao músico, dizendo: "Se foi João Gilberto o maior gênio da música brasileira. Influência definitiva no meu canto. Fará muita falta mas seu legado é importantíssimo para o Brasil e para o mundo."


  ACERVO ÉPOCA: No rastro de um mito da música


SAMBA ESQUEMA NOVO


João Gilberto em Buenos Aires, 1962. O músico descansava após um dos trinta shows que fez no Clube 676, na capital argentina Foto: Editora Globo / Agência O Globo

João Gilberto revolucionou o samba ao buscar um estilo de tocar o violão diferente do praticado até então, focado na essência do som. Tudo isso praticando sem parar em um banheiro na cidade de Diamantina, Minas Gerais, onde tentava dar forma ao que seria conhecido como a bossa nova.  Como disse Joyce, em entrevista ao GLOBO :


"Ele deu uma sintetizada numa coisa que era meio barroca no violão brasileiro, ficou uma forma muito preciosa de tocar. João é a perfeição. Quando ele pega uma música de que gosta, fica tocando um trilhão de vezes."


Em entrevista à GloboNews, o escritor e jornalista João Máximo descreve a dimensão da transformação proporcionada pela nova maneira de tocar violão de João Gilberto: "A bossa nova surge com ele porque ele é um gênio, no violão, principalmente. O João Gilberto sai do Rio de Janeiro cantando de uma maneira, influenciando Orlando Silva da era do radio, sai tocando violão aparente ente comum e quando volta, ele volta com novo violão e nova maneira de cantar que não se sabe ao certo como ele descobriu."


Como descreveram os críticos musicais Zuza Homem de Mello e Jairo Severiano, em seu livro "A Canção no Tempo",  João Gilberto mostrou em sua gravação de "Chega de Saudade" um violão que ia "na contramão da forma institucionalizada de tocar samba".


UM ARTISTA RECLUSO


Recluso em seu apartamento na Zona Sul do Rio ao longo de quase uma década, João fazia pouquíssimas apresentações. Recentemente, teve uma rara aparição em fotografia compartilhada na internet por sua neta, Sofia.


No ano passado, o músico chegou a ser obrigado a abandonar sua casa por conta de uma ação de despejo. Ele tinha uma série de complicações financeiras causadas por disputas de direitos autorais e dívidas

FONTE: epoca.globo.com/

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados